permacultura, resiliência e liberdade

mota eléctrica

Eu tenho uma mota eléctrica desde 2006. Sei que foi das primeiras em Portugal porque na alfândega deram-me muitos problemas e não tinham registo da entrada de nenhuma mota eléctrica. Queriam que pagasse IVA em Portugal por esta mota mas descobri que veículos eléctricos até 7000 watts estão isentos. A mota tem 2500 watts. Esta mota é feita na china mas comprei-a em Espanha a uma loja inovadora, Vehículos con Ingenio, que vende todo o tipo de coisas malucas. Agora já se vende em Portugal, é só pesquisar BERECO.

Esta é uma scooter talvez mais fraca que uma 50cc, custa sensivelmente o mesmo que uma 50cc mas tem muitas vantagens: não emite ruído, não emite poluição atmosférica, não gasta energia enquanto está parada, tem um décimo das peças de uma scooter normal pelo que se poupa muito em mecânicos, é muito limpa pois não cheira, não tem fumos de escape, não leva combustível nem verte óleos, tem uma utilização baratíssima: 0,40 euros cada 100 km, evita deslocações às desagradáveis bombas de combustível, motor muito eficiente acoplado à roda (os motores eléctricos são por norma muito mais eficientes que os de combustão interna). Gosto muita da mota e dá muito jeito mas uso pouco. Prefiro andar de bicicleta e depois a pé e depois de metro e só depois de mota eléctrica.

Desvantagens: lenta (45km/h, em subidas íngremes, 30), baixa autonomia (50 km), dificuldade em abastecer em qualquer sítio, as baterias têm um tempo limitado (10.000 km, mas um set para esta mota custa apenas 250 euros), a falta de ruído também é uma desvantagem porque se as pessoas não ouvirem nada atravessam a rua sem olhar – mas também tenho esse problema com a bicicleta, a construção deste modelo também é um pouco fraca.

Mas atenção!

Agora já há modelos fantásticos, muito mais potentes. Fui à inauguração de uma loja de veículos eléctricos, a www.ecoveiculos.com e experimentei uma mota de 5000 watts e é super! Aconselho! Eles também têm um carrito eléctrico que também experimentei mas… enfim… não é para mim.

O que me arrasta para a questão de que o carro eléctrico e já agora a mota eléctrica, já existem há muito tempo (até houve uma FAMEL eléctrica), aliás sempre existiram e são uma alternativa viável mas os lobbies do petróleo não permitem que saia. Mesmo agora que se fala imenso do carro eléctrico, mesmo agora que o nosso primeiro-ministro assinou um contrato para não-sei-quando a Nissan meter um carro eléctrico em Portugal, mesmo agora que todos os media já escreveram artigos sobre o futuro e misterioso carro eléctrico, mesmo agora que o site da Renault (www.renault-ze.com/pt) tem um cronómetro decrescente com apenas 630 dias (!!! enfim…) estou céptico de que seja verdade, que quem travou o carro eléctrico antes, não o trave agora. É capaz de sair o carro eléctrico mas vai ter um problema qualquer e ninguém vai comprá-lo. Aconselho a visualização do documentário Quem matou o carro eléctrico?, este não é o típico documentário de conspiração produzido pelo hippie estudante de cinema, este é um documentário da Sony Pictures, narrado pelo Martin Sheen, com Tom Hanks, Mel Gibson, etc… (todos compraram um carro eléctrico em 2001 que lhes foi retirado e destruído, vejam!!).

Quem matou o carro eléctrico? (trailer)

documentário completo:

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s